Gerenciar uma transportadora não é uma tarefa fácil, pois o processo envolve mais do que a contratação de caminhões e motoristas para a entrega das mercadorias. Diante de tantos desafios e pressões, é necessário pensar estrategicamente e investir em boas práticas de gestão do transporte de cargas para alcançar negócios economicamente sustentáveis ​​e eficientes.

Dentre os diversos desafios da gestão de transporte de cargas, estão os atrasos na entrega, violência nas estradas e roubo de mercadoria. Mesmo diante de obstáculos e complexidade, a logística é um setor em rápido crescimento e altamente estratégico. Com o apoio das boas práticas e inovação tecnológica, é possível adotar uma gestão mais tática e eficaz do transporte de cargas. Confira algumas dicas a seguir:

  • Trace um plano de manutenções preventivas

Um bom gestor de frota sabe que evitar quebras de caminhões é muito melhor do que ter que consertá-los mais tarde. Uma estratégia eficaz é desenvolver um plano de manutenção preventiva cujo objetivo é justamente antecipar problemas e manter a saúde do veículo. Portanto, o plano ajuda a garantir a longevidade, qualidade e rentabilidade da frota.

A ideia é criar um cronograma de vistorias regulares. Nestes dias, os profissionais designados verificarão as várias partes do caminhão e organizarão a substituição de peças e óleo hidráulico de acordo com as recomendações de cada fabricante de automóveis (considerando a marca, ano, modelo, etc.). 

  • Faça um checklist dos veículos

Os veículos são o elemento mais importante da gestão do transporte de cargas. Além de serem ativos da empresa e representarem altos investimentos, são insubstituíveis para as operações. Portanto, é muito importante valorizar sua integridade e evitar que sejam danificados. O checklist nada mais é do que uma ficha com vários aspectos que precisam ser verificados. Nele, aparecem itens como: nível do óleo do motor, água do radiador, luzes internas e externas, pneus, freios, sistema de embreagem e suspensão, entre outros. 

  • Invista em gestão de riscos

Apostar na gestão de riscos significa investir na melhor qualidade e segurança dos processos logísticos e de transporte. Isso coloca sua empresa em uma posição de destaque, especialmente porque ela pode construir relacionamentos mais lucrativos com os clientes com base em sua responsabilidade e compromisso com o cumprimento de prazos e preços.

Entre em contato e saiba mais.

O rastreamento de cargas é um grande facilitador na gestão dos serviços de transporte, uma vez que colabora para a segurança do veículo e motoristas, e possibilita informações com relação ao prazo de entrega. Em tempos onde a internet traz facilidades e comodidades, a utilização de ferramentas para a localização de pedidos em viagem passa a ser uma necessidade. Através do rastreamento é possível fazer previsões e acompanhar a entrega ou chegada de produtos. Isso beneficia a operação, pois evita custos no contato para verificações e inibe a ansiedade de recebimento por parte do comprador. 

O rastreamento de cargas é um sistema que utiliza tecnologias que possibilitam a identificação do local onde os veículos de transporte estão trafegando. Com isso, sabe-se exatamente onde está a carga e as mercadorias em tempo real, sem a necessidade de um contato com o motorista. A tecnologia para rastreamento, permite que os envolvidos possam acompanhar a movimentação do veículo durante toda a viagem, portanto, é uma excelente ferramenta para contratante dos serviços de transporte, transportadora, cliente que aguarda as mercadorias. 

O rastreamento de cargas oferece benefícios para todos os envolvidos nos processos de transporte. O contratante da carga, também conhecido no meio logístico como embarcador, é favorecido quando a ferramenta de rastreamento está a disposição, oferecendo os seguintes serviços: monitorar o nível e qualidade de agilidade das transportadoras, oferecer aos clientes informações sobre o seu pedido, identificar em tempo real possíveis problemas e buscar soluções imediatas, disponibilidade de dados para avaliações estatísticas na entrega das mercadorias. 

A transportadora também possui inúmeros benefícios com o rastreamento de cargas: oferece aos embarcadores serviços extras e diferenciais, monitora todos os veículos e motoristas, percebe problemas nas estradas e providencia mudanças de trajetos em tempo real e acompanha em detalhes: tempo de parada, velocidade e condução dos veículos, possibilita maior segurança aos motoristas e às cargas transportadas. 

Finalmente, o maior beneficiado de todos é o cliente que adquiriu as mercadorias e pode acompanhar a entrega do seu pedido, sendo possível: verificação do processo de entrega, previsão da chegada do pedido, preparação para o recebimento dos produtos quando na fase final de entrega. 

Como se observa, os ganhos são muitos com a possibilidade de rastreamento de cargas e nos dias atuais, oferecer esses serviços aos clientes é um diferencial de mercado. Entre em contato e conheça nossa soluções!

Calcular o volume ocupado por uma carga para o transporte nem sempre é uma tarefa fácil. Por isso, se faz necessário aplicar algumas avaliações para não medir de forma equivocada, atrapalhando a otimização da logística e custos.

Cubagem é a associação entre o espaço que um produto ou mercadoria ocupa dentro do veículo, além do peso e volume que ela possui. A cubagem auxilia no planejamento que a logística deve operar, e otimiza a eficiência total do veículo, impedindo que o transporte tenha custos desnecessários a partir do mau aproveitamento do espaço.

O fator cubagem é outro termo importante dentro do guia sobre cubagem. Ele corresponde ao peso considerado ideal em relação ao metro cúbico (1 m³) de dimensão que há no veículo. Também leva em conta o modal ao qual o transporte se encaixa, que é estipulado pela Associação Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), veja: 

  • Rodoviário: 300 kg
  • Aéreo: 166,7 kg 
  • Marítimo: 1.000 kg 

Vale lembrar que, para a logística de cargas fracionadas (com mais de um destinatário e produtos de origem diferentes), deve-se considerar um fator de cubagem menor, de aproximadamente 250 quilos. Isso acontece pois, com essas conjunturas, fica mais complicado preencher o veículo de maneira uniforme.

Para calcular o peso cubado (a variável que a mercadoria irá ocupar verdadeiramente no espaço disponível no veículo), vamos precisar usar a matemática:

  • Multiplica-se o fator de cubagem pela metragem cúbica, ou seja, altura X largura X comprimento.

Sempre deve considerar o maior peso quando for utilizar o peso da cubagem em consideração. Isso quer dizer que, caso o peso real da mercadoria seja maior que o peso cubado, você deverá utilizar o peso real em consideração. 

No geral, a cubagem é muito relevante no setor logístico, e planejamento e especialização no assunto é essencial para fechar um bom negócio. 

Longe de ser apenas um gasto a mais, o rastreamento de cargas pode ter consequências benéficas para o setor logístico e de vendas da sua empresa, além de afetar no orçamento, nas operações e até na imagem da transportadora. 

O rastreamento de cargas permite que a equipe de logística da transportadora e o cliente que receberá a carga saibam como está correndo e onde está a mercadoria a ser recebida. 

Sendo assim, a forma mais comum de fazer esse monitoramento de cargas é usando um dispositivo GPS, que irá enviar o posicionamento em tempo real do caminhão. Esse rastreio de mercadoria pode ser acompanhado em mapas digitais, integrados a softwares de gestão da frota, no escritório da empresa. Além do caminho percorrido, a rastreabilidade de cargas também oferece algumas outras informações sobre o transporte, como dados sobre a aceleração do veículo, abertura de portas, períodos de pausa do caminhão e a jornada de trabalho do motorista. 

O rastreio de mercadoria pode ser enviado também para o cliente. Elas irão informar possíveis atrasos na entrega ou, caso tudo corra bem, apenas informações sobre quando o produto que ela espera saiu para a entrega, chegou à cidade de destino e uma data estimada de quando deve estar à sua porta. 

São diversas vantagens do rastreamento de veículos de carga, tanto por ganhos financeiros, quanto pelos logísticos. Confira alguns:

  1. Rastrear carga reduz riscos, quando o veículo possui rastreador, são inibidas tentativas de roubo e extravio dos produtos. 
  2. Rastrear carga ajuda na sua logística, devido à integração de informações, a empresa sabe quando a entrega foi feita e quem recebeu a mercadoria, e passa a poder contar com aquele veículo novamente para mais fretes. 
  3. Rastrear carga reduz custos, é possível garantir que o caminhoneiro vá pelo caminho com menos pedágios, com menos trânsito e com o menor percurso, fazendo com que as entregas sejam realizadas mais rapidamente.

Deu para perceber quanto o rastreamento de cargas é importante e faz toda a diferença no setor logístico, não é mesmo? Para mais informações, entre em contato conosco!

Existem várias estratégias que podem ser usadas para garantir um gerenciamento de risco em transporte eficiente! Para fazer um bom gerenciamento de risco em transporte, comece elaborando um plano que vai nortear as demais ações adotadas pela empresa. Os passos que você vai precisar seguir são:

  • Identificar os riscos;
  • Analisá-los;
  • Levantar soluções e recursos para minimizá-los.

Como já foi dito, os principais riscos da movimentação de mercadorias no cenário brasileiro são: roubos e assaltos, extravio, perda e avaria dos produtos durante o trajeto, danos aos veículos (acidentes, estradas ruins), multas e apreensões, atrasos na entrega, processos ineficientes que causam falhas e elevam as despesas com o frete. Como vimos, as possíveis ameaças acontecem por diferentes motivos. Por isso, cada transportadora precisa fazer um diagnóstico para entender os problemas que atingem suas operações em maior ou menor intensidade.

O planejamento é uma etapa básica e, sobretudo, determinante para a gestão de riscos. Sem ele, o gestor não tem uma visão ampla dos perigos que rodeiam seu negócio e, consequentemente, não pensa em práticas de prevenção, nem protege seu patrimônio de forma efetiva. Um passo a passo bem prático para um planejamento é: 

  • Realize um escopo

Avalie os problemas que podem afetar uma etapa do processo.

  • Colete informações 

Junte vários colaboradores que façam parte do processo e veja quais fatos poderiam ocorrer e o que fazer caso aconteçam.

  • Detecte os riscos e suas consequências

Anote os riscos e como eles poderiam prejudicar a empresa.

  • Entenda os impactos de cada risco

Além da possibilidade de efetivação do risco, você também deve avaliar os impactos que ele pode proporcionar. Uma ideia é realizar essa classificação por meio de uma escala numérica, do mais crítico para o menos crítico.

  • Determine uma probabilidade

Para cada risco identificado, estabeleça se a possibilidade de esse risco se efetivar é baixa, média ou alta. Essa escala deve ser feita de acordo com as características do negócio.

Deu para entender melhor, não é? Entre em contato com a Global 5 e saiba mais!